Anonim

A montadora japonesa Nissan Motor Co. afirmou na quinta-feira que estaria usando câmeras e radares no desenvolvimento de suas tecnologias de direção completa. Aparentemente do lado da fabricante de carros elétricos americana Tesla, a Nissan argumentou que o LiDAR, um componente-chave nos sistemas de direção autônoma de concorrentes como GM e Ford, é muito caro por suas capacidades.

O anúncio da Nissan ocorre aproximadamente um mês depois que a Tesla realizou seu Dia da Autonomia, onde Elon Musk classificou o LiDAR de "tarefa de tolo". Durante o evento, Musk previu que as empresas que dependem dos sensores baseados em luz provavelmente abandonariam a tecnologia no futuro. Por sua parte, Tetsuya Iijima, gerente geral de tecnologia avançada da Nissan, observou em repórteres que as capacidades do LiDAR atualmente não conseguem corresponder às soluções avançadas de câmera e radar.

“No momento, o LiDAR não possui os recursos para exceder os recursos da mais recente tecnologia em radar e câmeras. Seria fantástico se a tecnologia LiDAR estivesse no nível em que poderíamos usá-la em nossos sistemas, mas não está. Há um desequilíbrio entre seu custo e suas capacidades ”, afirmou Iijima.

As declarações de Iijima sobre o LiDAR não são apenas palavras vazias da montadora japonesa, pois a Nissan apresentou recentemente sua própria câmera e tecnologia de direção autônoma focada em radar. Ao contrário do atual sistema de piloto automático da Tesla, que exige que os motoristas mantenham as mãos no volante, o sistema da Nissan permite dirigir com as mãos livres em faixas únicas nas rodovias em rotas predefinidas.

Para habilitar essa tecnologia, a Nissan utiliza câmeras, sensores de radar e sonar para compilar dados de mapeamento tridimensionais, permitindo que os veículos da empresa “vejam” seus arredores com precisão. A montadora japonesa também está desenvolvendo um sistema "Tri-Cam" que se concentra em três pontos na frente e nas laterais de um veículo, permitindo que os carros capturem uma ampla área de visão.